6 razões porque toda a gente deveria fazer agachamentos

Para além dos benefícios visíveis no trem inferior principalmente grande glúteo tanto dos homens como das mulheres o agachamento tem muitas outras vantagens.
Com agachamento sem agachamento
O Agachamento é um dos melhores exercícios para atletas e para a população em geral. Toda a gente deveria fazer alguma forma de agachamento porque trabalham o CORPO TODO, estudos mostram que fazer agachamento para treinar o trem inferior pode produzir os seguintes benefícios:
  • Melhor mobilidade funcional e maior velocidade na marcha
  • Melhora a densidade mineral óssea e diminui a probabilidade de partir um osso
  • Melhora a musculatura do “CORE” e previne dores na região lombar e lesões
  • Melhora a velocidade na corrida em pequenas e longas distancias
  • Maior salto vertical (salto em altura)
  • Melhor perfomance desportiva
Por estes e outros motivos vamos dar-lhe 6 excelentes razões porque toda a gente devia fazer agachamentos:
1) Faça agachamentos para correr mais depressa
agachamento-smith-livre-3
A velocidade de corrida é influenciada pela capacidade de aplicar mais força contra o chão, e a mais rápida maneira de melhorar este aspecto é aumentar a força do trem inferior.
Nos vários tipos de agachamento irá trabalhará não só os músculos do trem inferior como glúteos, quadricipete, isquio -tibiais e gémeos para produzir mais força de tração ao solo, mas também irá aumentar a força na musculatura do “Core”. Isto permite aos atletas potencializar a sua força e agilidade no desporto e em movimentos específicos da sua mobilidade em competição.
Estudos recentes provam que agachamentos potencializam a velocidade. Por exemplo, um estudo feito num clube de Rugby de elite, mostrou que um aumento no agachamento de força máxima durante 8 semanas na pré-epoca, tornaram os atletas significativamente mais rápidos nos sprints curtos. Os jogadores efectuaram dois microciclos que incluíram 4 semanas de treino de força máxima do trem inferior, seguindo-se um treino de explosão com a mesma duração.
Para o treino de força máxima, os atletas fizeram séries de “back squats, clean pulls, deadlifts, and Nordic curls” entre 85% a 90% de 1RM (1 repetição máxima) . E para o treino de Explosão fizeram hang cleans, squat jumps, back squats, e Nordic curls todos a 85% de 1RM.
Os resultados provaram que os atletas aumentaram a sua força máxima em 30 Kg, melhorando de 170 para 200 Kg. Estes ganhos impressionantes de força traduziram-se em melhorias no sprint de 6 a 7.6% em 5, 10 e 20 metros. Estes jogadores conseguiram aplicar mais força de tracção ao solo durante a fase inicial da aceleração do sprint.
Dica: Incluam sempre carga nos agachamentos no treino do trem inferior, para potencializar velocidade em desportos como Basketball, Futebol, Rugby, Atletismo, Hockey, entre outros.
Não apenas Sprinters mas corredores de longa distancia beneficiarão também. Atletas bem treinados irão aumentar velocidade não por mover os braços e pernas mais rápido, mas por conseguirem aplicar mais força de tracção ao solo em cada passada.
2)  Faça agachamento para melhorar a mobilidade e reduzir a dor
Senior Squat
A população de uma maneira geral irá beneficiar de uma melhoria na mobilidade, e menos probabilidade de dores na região lombar e joelhos fazendo agachamentos. Um estudo recente realizado numa população sénior com artrite reumatóide, mostrou-nos que o agachamento resultou em menos queixas de dores nos joelhos, melhor equilibrio e melhoria na marcha e velocidade da mesma. Os participantes também tiveram menos evidencias de inflamação crónica que é associada a artrite reumatóide.
Dica: Uma musculatura mais forte da trem inferior (boa activação dos gluteos) e “Core” irá permitir que todas as populações se movam melhor e tenham menos probabilidade de ter dores e lesões.  Agachamentos são uma solução para a condição física geral e saúde.3) Faça agachamentos completos (amplitude total) para melhorar o salto em altura (salto vertical).
Deep-Squat
O agachamento na amplitude tota,l em que se desce completamente até os isquio-tibiais tocarem nos gémeos irá aumentar a performance no salto em altura melhorar a performance atlética.Um estudo alemão mostrou que num programa de treino de 10 semanas no agachamento profundo, potencializou o salto vertical, mais que o agachamento a 90º com grandes cargas. os pesquisadores compararam os vários tipos de agachamentos (deep back squats, deep front squats, and quarter-range back squats) no salto em altura. O achamento a 90º (quarter-range) não aumentou o salto em altura de modo significativo, apenas 2.6 %.
O grupo que executou o agachamento profundo melhorou 5.8% e o Agachamento frontal profundo 7.2%. Os ganhos no salto em altura nos que praticaram ambos os agachamentos foram à volta dos 8%.
Este estudo é importante porque combate uma opinião generalizada que o agachamento não pode ir além dos 90º no treino de força e que os agachamento na amplitude total não trás grande ganhos.
Dica: Se quer uma melhor performance, ser mais forte, saltar mais alto e ter uma melhor composição corporal faça um compromisso com o agachamento profundo.
Isto não significa que o agachamento a 90º não seja apropriado, é muitas vezes utilizado em treinos de força de atletas avançados ou em hipertrofia, mas não pode ser o único estimulo para correr mais ou saltar mais.4) Faça agachamento frontal (Front Squat) para melhorar uma performance desportiva.
Agachemento frontal
O Front Squat é uma das melhores ferramentas para alcançar novos níveis de condição física, flexibilidade, e mobilidade dinâmica. Melhora o rendimento em desportos  como bobsledding, ski alpino, patinagem em velocidade no gelo e Rugby. Também o ajuda na aceleração vertical para levantamentos olimpicos e desportos que seja necessário saltar como basketball ou volleyball.
Dois novos estudos mostraram como ter a melhor performance nos resultados com o front squat.
Primeiro, o front squat requer que tenha uma boa flexibilidade na bacia, tibio-tarsica, ombro e punho. Se não tiver essa flexibilidade para executar o agachamento frontal, nunca alcançará o todo o potencial de força do trem inferior.
Segundo, O Front Squat obriga-o a ser tecnicamente honesto porque se “fizer batota” ao direcionar a bacia para trás pode deixar cair a barra. Também faz com que haja menos compressão na articulação do joelho que no agachamento com a barra nos ombros enquanto dá um estimulo aproximado nos músculos.
Terceiro, leituras electromiográficas mostram que no agachamento frontal trabalha os quadricipetes, recto abdominal, Gluteos e erector da coluna melhor que o back squat.
Dica: Torne-se mais rápido, salte mais alto com agachamento frontal. Incluindo o front squat no seu programa de treino torna-se um incentivo ao treino de flexibilidade, e para atletas iniciados pode ser mais confortável que ter uma barra pesada sobre os ombros e também solicita toda a musculatura do trem inferior.
front-squat
5) Faça agachamento para mais fortes e melhores abdominais
Agachamentos são um grande exercício para a musculatura da parede abdominal e lombar e um “core” forte significa melhor performance desportiva.
Um estudo da ” Division 1 college football players” mostrou que máxima força e explosão do trem inferior medido em 1 Rm (Repetição máxima), o  agachamento está directamente associado à força e resistência dos músculos do “core” (transverso abdominal, recto abdominal, soalho pélvico, Abdominal oblíquo, multífidos e musculatura paraespinhal) .Os pesquisadores neste estudo apontaram para uma conclusão algo polemica, pois consideraram inúteis as pranchas abdominais para treinar o “core” dos atletas e da população em geral no sentido que a prancha frontal e lateral foi considerada  como um exercício “não-funcional” de forma estática que raramente é aplicada em desportos ou no quotidiano tornando-se ineficaz como uma componente de treino prioritário.
Dica: Faz agachamentos para uns abdominais mais fortes, mais estéticos que irão permitir uma melhor performance no desporto e na vida. Como complemento do treino de “core”, o peso morto e elevações com pega em supinação são  também exercícios essenciais por causa de toda a estabilização que é necessária se fizermos os exercícios correctamente.
Push Ups (na giria conhecido como flexões de braços), também exige uma estabilização horizontal da parede abdominal, glúteos e toda a cadeia posterior que inclui a lombar e isquio-tibiais.
6) Comece a fazer agachamentos em tenra idade para uma melhor saúde e performance – Os agachamentos são seguros para toda a gente.
Jovens e o agachamento
Os agachamentos não lesionam os joelhos ou as costas se executados correctamente e começar em tenra idade irá permitir que que se comece a treinar com mais intensidade mais cedo, porque acumulará “experiencia de treino” e toda a adaptação anatómica necessária.
Um estudo com a duração de dois anos analisou os efeitos do treino de força na população jovem. O estudo incluiu jovens atletas de elite de um clube de futebol e jovens de treino de força inserido no plano de treino de futebol para idades compreendidas entre  os 11 e os 19.
Os ganhos de força no agachamento, foram analisados baseados em diferenças de dois anos entre os grupos.
 Grupo A <19 anos, Grupo B < 17 anos, Grupo C <15 anos e Grupo D entre 11 e 13 anos.
Os jogadores de futebol foram seguidos num programa de treino que incluía agachamentos e outros exercícios poli-articulares para o corpo todo. O Grupo D, os mais novos de todos os grupos, executaram treinos técnicos orientados que incluíram os mesmos exercícios que os mais velhos fizeram, mas com o foco na execução técnica.
Os resultados mostraram que os valores de força para 1 RM (Uma repetição máxima) para o front squat e back squat relativamente ao peso corporal forma os seguintes: (Front Squat é o primeiro valor)
Grupo A: 1.5, 1.7
Grupo B: 1.4, 1.6
Grupo C: 1.2, 1.4
Grupo D: 0.7, 0.9
No final os valores para 1RM dos grupos de treino de força foram 40 a 50 % mais que o grupo dos jogadores só de  futebol para além de mostrarem uma melhoria impressionante na performance desportiva.
Que os jovens são altamente treináveis não é surpresa, mas o treino da “população jovem” continua a sofrer de estranhos mitos que desencoraja os pais e treinadores de inserir os jovens no treino de força.
Apesar das abundantes pesquisas indicarem raras lesões para quem pratica treino de força, mostraram também melhorias significativas na densidade mineral óssea, um maior crescimento neste jovens minimizando o risco de lesões, a maior parte dos atletas pecam por falta de treino de força no complemento ás suas modalidade. E muitas vezes todo o seu potencial não é alcançado por apenas não levantarem pesos.
Dica: Toda a gente deveria fazer agachamentos e cada vez mais estudos indicam que pode iniciar-se aos 7/8 anos e no melhor dos cenários terão 10 anos de experiência no treino de força quando tiverem 19 anos. Naturalmente os treinos terão de ser divertidos e com especial atenção á técnica.
 Fonte: poliquingroup

References

Comfort, P., Haigh, A., et al. Are Changes in Maximal squat Strength During Preseason Training Reflected in Changes in Sprint Performance in Rugby League Players? Journal of Strength and Conditioning Research. 2012. Published Ahead of Print.
Simao, A., Avelar, N., et al. Functional Performance and Inflammatory Cytokines After Squat Exercises and Whole-Body Vibration in Elderly Individuals with Knee Osteoarthritis. Archives of Physical Medicine and Rehabilitation. April 2012. Published Ahead of Print.
Hartmann, H., Wirth, K., Klusemann, M., Dalic, J., Matuschek, C., Schmidtbleicher, D. Influence of Squatting Depth on Jumping Performance. The Journal of Strength and Conditioning Research. 2012. 26 (12), 3243-61.
Clark, D., Lambert, M., et al. Muscle Activation in the Loaded Free Barbell Squat: A Brief Review. Journal of Strength and Conditioning Research. 2012. 26(4), 1169-1178.
Matuschek, C., Schmidtbleicher, D. Influence of Squatting Depth on Jumping Performance. Journal of Strength and Conditioning Research. 2012. Published Ahead of Print.
Bird, Stephen and Casey, Sean. Exploring the Front Squat. Strength and Conditioning Journal. February 2012. Published Ahead of Print.
Cissik, John. Coaching the Front Squat. Strength and Conditioning Journal. October 2000. 22(5), 7-12. #5 Shinkle, J., Nesser, T., et al. Effect of Core Strength on the Measure of Power in the Extremities. Journal of Strength and Conditioning Research. January 2012. Published Ahead of Print.
Okada, T., Huxel. K., Nesser, T. Relationship Between Core Stability, Functional Movement, and Performance. Journal of Strength and Conditioning Research. January 2011. 25(1), 252-261.
Sharrock, C., Cropper, J., Mostad, J., Johnson, M., Malone, T. A Pilot Study of Core Stability and Athletic Performance: Is There a Relationship? International Journal of Sports Physical Therapy. June 2011. 6(2), 63-74
Keiner, M., Sander, A., et al. Trainability of Adolescents and Children in the Back and Front Squat. Journal of Strength and Conditioning Research. 2012. Published Ahead of Print.
Anúncios

Um pensamento sobre “6 razões porque toda a gente deveria fazer agachamentos

  1. mais uma vez fico bem informado quando acesso esse site soluções corpo e mente e esse artigo sobre agachamento é 10 eu amo e na academia que malho só eu faço agacho completo até em baixo não porque sou melhor é porque eles e elas tem preguiça ou medo de ir até em baixo e tudo que foi dito ai é verdade os beneficios são enormes valeu pelos videos e informações

    Gostar

Deixem os vossos comentários

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s